Monday, July 16, 2007

Meatrix


Imagine se cada pequeno fazendeiro que produz diariamente cerca de 30 litros de leite fosse exigido a atingir a meta de 700 litros diários para atender à demanda das grandes indústrias. Seria praticamente impossível. Aumentar a produção e oferecer preços mais baixos no mercado significa implantar novas tecnologias. Caso contrário, este pequeno produtor deixa de existir.

Na verdade, o aumento drástico na produção do leite se tornou padrão nos Estados Unidos. Em 1950, a fabricação de leite anual, por vaca, atingia cerca de 2.409 litros. Hoje, são mais de 8.181 litros. Esta situação pode ser explicada em parte pela alimentação do animal, modificações hormonais e genéticas e também pelo processo industrial que confina milhões de bichos lado a lado, um método que transgredi as leis da natureza.

O Brasil já parece ter começado a se inspirar no modelo americano. Dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) revelam que a produção de leite mundial está estimada em torno de 518.6 bilhões de litros. Em 2004, 70% deste volume foi fabricado pela Europa e pelos Estados Unidos. No entanto, a tendência é esse quadro mudar. A Embrapa afirma que a fabricação de leite no Primeiro Mundo irá diminuir e, conseqüentemente, aumentar nos países em desenvolvimento. Nos últimos 25 anos, a indústria do leite cresceu no Brasil. Em 1979, passou de 10.2 bilhões de litros para cerca de 22.3 bilhões, em 2003. No ano de 2005, alcançou 22.9 bilhões de litros de leite. Sem a implementação de tecnologias industriais, estes números provavelmente não seriam possíveis.

Assista a Animação

1 comment:

Fabio Chaves said...

excelente esse filminho!